Facebook

terça-feira, 8 de maio de 2007

A Guerra da Barba

A GUERRA DA BARBA
Anões e Elfos em uma amarga
guerra

Anthony Reynolds

Tradução
Daniel Cunha



Este é o primeiro dos artigos em que se
descreve a épica Guerra da Barba. Esta guerra
deu-se no inicio dos tempos, muito antes
da aparição dos humanos. Anthony Reynolds
nos relata esta época calamitosa.



Há muito, muito tempo, 2.000 anos antes do nascimento de Sigmar, o renomado Rei Fênix Caledor I governava Ulthuan em uma época de turbulências marcada por uma guerra civil que havia entristecido a nação élfica. Enquanto irmãos lutavam contra irmãos pelo domínio da ilha e a posse da coroa do Rei Fênix, Caledor se colocou à frente de seus súditos Leais para enfrentar o traidor Malekith, que, finalmente, foi expulso de Ulthuan. Apesar dos problemas que haviam induzido os Altos Elfos, continuavam sendo uma nação poderosa, sua magia estava em pleno apogeu e os cavaleiros de dragões seguiam sobrevoando o céu de sua ilha.
As ruas de Ulthuan se preencheram de gritos de desespero e lamentações quando Caledor morreu. O Rei Fênix havia deixado a seu sucessor, seu filho Caledor II, um exército forte e a frota de navios mais poderosa de todo o Velho Mundo, porém os Altos Elfos iriam conhecer em pouco tempo a loucura de um reinado hereditário.
Ainda que por suas veias corria o sangue de seu pai,Caledor II não compartilhava nem do bom juízo nem da sabedoria dele. O jovem Rei Fênix era irascível, impetuoso, altivo e vaidoso. Era um guerreiro poderoso, mas, o que precisamente Ulthuan buscava com desespero era encontrar a estabilidade, não existia um governante que poderia estar mais distante de proporcioná-la.
No principio de seu reinado, as rotas de comércio com os Anões, que haviam permanecido fechadas durante a época da guerra civil dos Altos Elfos, voltaram a restabelecer-se. Os Anões encontravam-se no zênite de seu poder e seus ferreiros rúnicos possuíam um conhecimento de sua arte muito superior ao que têm na atualidade. O aço das forjas anãs era o melhor do Velho Mundo e os elaborados brinquedos com mecanismos de relojoaria que construíam eram a delicia dos meninos Elfos. Existiam enormes rotas subterâneas que uniam entre si as crescentes fortalezas anãs e os Anões sabiam muito pouco das lutas sofridas pela raça élfica, por que pensavam que se encontravam a salvo de todo o perigo.
___________________________
Artigo em tradução...

Um comentário:

Daniel Cunha disse...

A Guerra da Barba -na História- ocorreu entre França e Inglaterra, entre os anos de 1152 e 1153.
O barbado rei Luis VII de França casou-se com Eleanor, filha de um duque francês, e recebeu duas províncias no Sul do país como dote. Ao voltar das Cruzadas, o rei Luís raspou a barba. Eleanor não gostou, mas ele se recusou a deixar a barba crescer novamente. Eleanor se divorciou e casou-se com o rei Henrique II, da Inglaterra, exigindo a devolução das duas províncias. Luís não quis entregá-las e a guerra começou.
O artigo em questão trata da mitologia literária tolkieniana que é, em minha opinião, uma das melhores.